Mulher conferindo a temperatura de uma criança com febre.

Quais são as causas mais comuns de febre em crianças?

A febre em crianças, seja como uma reação a algumas vacinas [1] ou como sintoma de doenças, é uma das maiores preocupações de pais e mães com seus filhos. O desconhecimento sobre essa ocorrência, que é relativamente comum nos primeiros anos de vida, pode gerar pânico, mas algumas informações podem tranquilizar os responsáveis. Para saber mais sobre a febre em crianças e suas principais causas, conversamos com a pediatra Danielle Nigri, do Hospital Perinatal, que esclarece algumas dúvidas sobre o sintoma.

É febre mesmo?


Muitos pais se assustam quando sentem que a criança está “quentinha”, mas isso nem sempre configura realmente um quadro de febre. Em termos gerais, considera-se febre uma temperatura acima de 37,2ºC, quando medida nas axilas, ou acima de 38ºC quando medida via retal. [2] Ainda que a febre geralmente indique que algo está errado no organismo [3], é necessária uma investigação mais profunda para determinar a gravidade. “A febre é uma manifestação clínica que comprova que alguma coisa no organismo não vai bem. Mas pode ser o sintoma de uma doença leve, moderada ou grave”, explica a pediatra. 

Crianças têm maior propensão a febre que adultos


Segundo a Dra. Danielle, as crianças têm maior probabilidade de apresentar febre do que os adultos. “O sistema imunológico delas é mais imaturo e protege menos as crianças de doenças infecciosas. Portanto, elas são mais suscetíveis a doenças (sobretudo viroses) e, desta forma, acabam tendo mais febre como sintoma do que os adultos”. No entanto, segundo a pediatra as causas podem ser diversas, especialmente as infecções virais ou bacterianas.

Quando é hora de medicar a criança?


Por mais que a febre possa ser preocupante, é importante saber que ela pode ter diversas origens que não necessitam de atendimento médico imediato. Primeiramente, a temperatura e o estado da criança devem ser fatores mais importantes a serem observados pelos pais. Se a criança estiver com febre, mas ainda assim estiver ativa, um banho morno ou compressas frias podem ajudar a reduzir o desconforto [2]. Caso a temperatura esteja acima dos 38,3ºC, especialmente se a criança estiver abatida, os médicos geralmente recomendam o uso de antitérmicos [4], que ajudam a reduzir a temperatura do corpo e melhorar a sensação de conforto do paciente [4].

Se a febre persistir, o médico deverá ser consultado


De acordo com Danielle, a febre isolada desaparece espontaneamente. Porém, a partir de 72h de temperatura elevada ou se a criança estiver em algum dos grupos de risco [2], é importante consultar um médico. “Se a febre persistir, deve-se examinar o paciente todo e, se o foco não for identificado, solicitar exames complementares de sangue e, se necessário, de imagem para esclarecimento diagnóstico”, completa a pediatra. 

Médica entrevistada:

Dra. Danielle Nigri, pediatra - CRM - 52.68450-3

Código ZINC: SABR.CDPM.20.06.0776
 

Matérias relacionadas

  • Imagem de uma sopa saudável | Miniatura | Pronto Passou
    alimentação saudável
    2021-04-22DD.MM.YY
    Quais alimentos podem ajudar na recuperação de um resfriado?
  • Mãe cuidando de seu filho doente | Miniatura | Pronto Passou
    febre
    2021-02-22DD.MM.YY
    Febre em criança: conheça as principais causas e riscos desse sintoma comum na infância
  • Quem nunca correu pra emergência quando viu seu bebê com febre? Mas será que é necessário? Vem ver!
    febre
    2021-01-11DD.MM.YY
    Febre em bebê é sempre uma emergência?