Criança tendo sua temperatura medida com termômetro | Banner | Pronto Passou

Como baixar a febre: conheça quais métodos são recomendados e seguros para crianças

Pesquisas apontam que a maioria dos pais utiliza um antitérmico para tratar seus filhos com febre sem antes consultar o pediatra. Para piorar o cenário, 67% deles alternam entre duas medicações diferentes, prática fortemente contraindicada pela literatura médica. [1] É compreensível que a febre em criança cause desconfortos e aflições, mas é preciso entender que a febre é um sintoma, uma maneira de o organismo mostrar que algo está errado. Além disso, é fundamental saber a forma correta de como baixar a febre para não colocar seu filho em perigo. [1][2] Continue lendo para aprender o que fazer para baixar a febre!

Quando usar um antitérmico?

O consenso médico defende que a administração de um antitérmico ou antipirético deve ser considerada apenas para febres acima de 38,2°C em pacientes saudáveis e fora da faixa etária de risco, como é o caso de bebês com até dois meses de vida. [1][2] A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que a decisão de medicar não deve ser tomada de forma automática, como ainda fazem muitos pais e profissionais da saúde. Ao contrário, é preciso fazer uma análise cuidadosa do quadro geral da criança para que os danos do tratamento medicamentoso não sejam maiores que os benefícios. [1]

O que fazer para baixar a febre sem medicamentos

O tratamento da febre em criança deve focar mais em aliviar o desconforto do que em diminuir a temperatura por si só. É importante destacar que crianças não costumam manifestar desconforto com febre abaixo de 39,5ºC, por isso é importante estar atento e monitorando a temperatura corporal. O objetivo não deve ser puramente baixar até a temperatura normal do corpo, mas sim garantir que a aparência clínica esteja boa. [1][2] O estado geral, a presença de outros sintomas (irritabilidade, letargia, palidez, choro constante, respiração ofegante) e a duração do episódio febril (mais de 72 horas) são indicadores mais determinantes para a gravidade do quadro do que os números apontados no termômetro. [2]

Algumas ações podem ser feitas para melhorar o bem-estar da criança com febre abaixo de 38ºC, dispensando o uso de antitérmico: [1]

  • O ambiente deve ser bem ventilado, mas sem exposição direta ao sol; [1]
  • A criança não deve estar despida, mas também não muito agasalhada; [1]
  • É fundamental que a criança seja estimulada a ingerir líquidos, como água, chá e suco, para garantir sua hidratação; [1][2]
  • Banho gelado com febre não é indicado, pois gera ainda mais desconforto e calafrios; [1][2]
  • Passar álcool misturado também é sempre contraindicado, já que pode causar intoxicação. [1][2]

TAGS : Febre, Saúde Infantil, Dor e SintomasNovalgina, Febre Alta, Febre Baixa, Febre em bebês e crianças

Referências:

[1] Blank D. Uso de antitérmicos: quando, como e por quê*. Residência Pediátrica. 2011;1(2):31-36. - Consultado em 22/01/2021
[2] Murahovschi J. A criança com febre no consultório. Jornal de Pediatria. 2003; 79(1): 55-64 - Consultado em 22/01/2021

MAT-BR-2100488

Matérias relacionadas

  • Mulher verificando a temperatura do seu filho com termômetro | Miniatura | Pronto Passou
    febre
    2021-04-22DD.MM.YY
    Por que a febre alta pode ser perigosa? O risco é maior em bebês e crianças?
  • Mulher verificando temperatura de um bebê | Miniatura | Pronto Passou
    febre
    2021-04-22DD.MM.YY
    Quais são as principais causas de febre em bebê?
  • Mulher conferindo temperatura da criança | Miniatura | Pronto Passou
    febre
    2021-04-22DD.MM.YY
    Febre e suor: qual é a relação entre as duas coisas?