Menino tendo sua temperatura medida por termômetro digital | Banner | Pronto Passou

Termômetro digital de testa é realmente confiável? Como utilizá-lo corretamente?

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, o termômetro digital de testa passou a ser constantemente utilizado em locais públicos para rastrear indivíduos com febre e, assim, detectar possíveis infectados. [1] Esta medida tem sido adotada porque a temperatura corporal é um indicador da atividade fisiológica e da saúde humana e a febre é um dos principais sintomas da COVID-19. [1][2]

Usar o termômetro digital de testa é uma medida eficaz?

O termômetro infravermelho, também chamado de termômetro digital de testa, é uma alternativa conveniente, rápida e oferece baixo risco de infecção por não promover contato físico, diferentemente do termômetro de mercúrio. [1] Segundo Alexandre Kawassaki, Doutor em Pneumologia pela Universidade de São Paulo, o termômetro digital de testa tem uma boa capacidade de medir temperaturas elevadas. Portanto, quando detecta uma temperatura de febre, pode-se confiar.

No entanto, Kawassaki faz algumas ressalvas: “O problema é que a pessoa pode estar com febre, mas a temperatura da pele na hora da medição pode estar mais baixa do que a temperatura real. Isso acontece porque a nossa temperatura externa é diferente da interna. Além do mais, quanto mais longe do centro do corpo (cabeça, tórax e abdome), maior é a variação da temperatura. Por isso, não se deve aferi-la nos membros, mas sim na cabeça”, afirma o médico.

A identificação da temperatura de febre

O termômetro digital de testa capta a radiação térmica emitida por um ponto focalizado, como a testa, e converte essa energia em um sinal elétrico que informa a temperatura corporal. [3] Contudo, estudos apontam que a temperatura da testa não fornece tamanha precisão sobre a ocorrência da febre quanto a temperatura timpânica (nas orelhas) [1]. Por isso, a sugestão é que seja adotado o valor de 36ºC para a temperatura corporal. [1]

“Infelizmente as melhores formas de medição da temperatura são impossíveis de serem implementadas para rastreio populacional e, por isso, a medição na testa pode ajudar a identificar casos suspeitos”, afirma o pneumologista Alexandre.

TAGS : FebreNovalgina

Referências:

[1] Chen H, Chen A, Chen C. Investigation of the Impact of Infrared Sensors on Core Body Temperature Monitoring by Comparing Measurement Sites. Sensors (Basel). 2020 May; 20(10): 2885. - Consultado em 23/12/2020
[2] Zayet S, Kadiane-Oussou NJ, Lepiller Q, Zahra H, Royer P, Toko L, et. al. Clinical features of COVID-19 and influenza: a comparative study on Nord Franche-Comte cluster. Microbes Infect. 2020 Oct; 22(9): 481–48. - Consultado em 21/12/2020
[3] Khan S, Saultry B, Adams S, Kouzani AZ, Decker K, Digby R, et. al. Comparative accuracy testing of non-contact infrared thermometers and temporal artery thermometers in an adult hospital setting. Am J Infect Control. 2020 Oct 2; 1-6. - Consultado em 23/12/2020

MAT-BR-2100026

Matérias relacionadas

  • Mulher verificando a temperatura do seu filho com termômetro | Miniatura | Pronto Passou
    febre
    2021-04-22DD.MM.YY
    Por que a febre alta pode ser perigosa? O risco é maior em bebês e crianças?
  • Mulher verificando temperatura de um bebê | Miniatura | Pronto Passou
    febre
    2021-04-22DD.MM.YY
    Quais são as principais causas de febre em bebê?
  • Mulher conferindo temperatura da criança | Miniatura | Pronto Passou
    febre
    2021-04-22DD.MM.YY
    Febre e suor: qual é a relação entre as duas coisas?